Carregando...
 

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tudo a seu tempo

Havia um menino muito vigoroso, inquieto, impaciente e cheio de energia. Todos os dias aprontava alguma travessura. Parecia que seu corpo tinha vontade própria tamanha era a energia que circulava dentro dele. Corria para todos os lados, subia nos lugares mais inusitados, ralava o joelho, despencava de locais perigosos, era um perigo ambulante.



Já na sua juventude, dedicou sua fonte inesgotável de energia aos esportes. Para não perder o costume, os radicais eram os seu prediletos. Aprofundou seus treinos e conhecimentos na ginástica olímpica. Quanto desafio. O gostinho do perigo, do limite, sem falar nos treinos físicos. Uma rotina que mais parecia treinamento do exército ou um castigo, por exigir muita força física e determinação. Mas para o rapaz era perfeito, ele até gostava.

Certo dia o jovem deparou-se com algo encantador. Parecia repulsivo, mas encantador ao mesmo tempo. Observou durante alguns segundos um grupo de praticantes de Tai Chi Chuan. Havia um senhor de barba branca e meio calvo. Era um típico estereótipo de mestre. O jovem sentiu-se atraído por aqueles movimentos suaves e lentos, que pareciam acariciar o vento. Então, imaginou-se fazendo o mesmo e percebeu que aquilo não era compatível com a sua natureza. Provavelmente, em poucos segundos estaria arrancando cabelos, xingando o mestre ou tendo um chilique. Continuou a sua rotina, mas algo havia mudado. Algo que o jovem nem havia percebido.

O destino prega uma peça no rapaz, que parte para uma longa jornada. Uma viagem que traria as respostas que tanto almejava. Durante oito anos o rapaz pode aprender com o melhor mestre, a vida. Percebeu que quando era menino, também gostava de flores e animais. Que poderia passar durante horas cuidando de uma flor ou um cachorrinho, mesmo com toda aquela energia pulsando. Lembrou que na juventude adorava ouvir música. A melodia era capaz de hipnotizá-lo por alguns minutos, acalmando e domando a sua mente e o seu espírito.

Percebendo contradições e opostos, que inexplicavelmente completavam-se e alternavam-se tornando-se um só. Percebeu que era agitado, mas num momento seguinte era calmo e dócil. Encontrou as respostas através de filosofias chinesas. O Taoísmo que fala sobre o Tao, encaixou-se como uma luva. O Budismo ensinou-lhe sobre si mesmo, o autoconhecimento. O Confucionismo ensinou-lhe sobre a moral e a ética, melhorando ainda mais a sua conduta. Todas essas filosofias encontradas em uma só arte milenar, o Tai Chi Chuan.

O rapaz arrepiou-se ao perceber que o destino já havia tentado responder as suas indagações naquele dia, diante aquela afinidade com algo repulsivo. Realmente não era o momento certo. Certamente não estava preparado para ouvir, aberto para receber, maleável para mudar e nem humilde para aceitar.

Felizmente, ainda é um rapaz. A sua maturidade provavelmente será tranquila e serena. Afinal, a sua escolha foi trilhar a infinita jornada do Tai Chi até o fim de sua vida.
Dizia o rapaz : “Tudo a seu tempo.”

P.S.: Queridos alunos e leitores, essa história é baseada em fatos verídicos. É a minha história com pequenas adaptações para torná-la uma espécie de conto.

19 comentários:

  1. Meu caro amigo Edgard, boa noite!!!
    Que maravilhosa iniciativa dividir a sua história, transformada em um excelente conto, com todos nós os seus amigos virtuais. Adorei conhecer essa história que trás nas entrelinhas muitos bons ensinamentos... Cada coisa no seu devido tempo... o conhecimento chega sempre na hora exata.
    Parabéns pela excelente narrativa, adorei!!!
    Grande abraço e muita paz!!!

    ResponderExcluir
  2. @Dú Pirollo
    Sabe Pirollo, existe um momento em que notamos as nuances da vida.
    Percebemos que nada é por acaso.
    Que tudo vai se encaixando como um quebra- cabeças.
    Que cada atitude afeta dirata e indiretamente à situações futuras.
    Aí vem aquele arrepio que "corre pela espinha"!
    O conto fala um pouco sobre esse aprendizado na minha vida, rsrsrs.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Ed,parabéns pelo post e por partilhar com os amigos uma parte de sua história.Que bom q o menino travesso se transformou em um rapaz sereno.Bjus

    ResponderExcluir
  4. Olá meu querido Edgard.
    Podemos criar certas situações como também devemos saber esperar as coisas acontecerem, mas não de braços cruzados é claro por que nada acontece por acaso. Eu acredito que tudo tem seu tempo, pois às vezes nós lutamos tanto para algo acontecer, e quando paramos de buscar ela simplesmente acontece. Por isso acho que tudo tem seu tempo mesmo. Pura arrogância daqueles que pensam ser nós quem criamos as situações.
    Isso só tem razão de ser quando alguém age fugindo da razão ou da lógica, quando tentam mudar a ordem natural da vida. Se fizer isso, sabe que pode morrer logo uma atitude sem razão.
    Fora isso, nada acontece por acaso, o acaso não existe. Nascemos com um destino traçado e nada nesta vida o mudará. Tudo tem seu tempo determinado por Deus e a tempo pra todo propósito debaixo do céu, não adianta querer apresar as coisas, Deus sabe o melhor tempo para nós. Gostei da mensagem e do modo com transmitiu. Abraços. Kaoma

    ResponderExcluir
  5. Querida Kaoma, se alguém me contasse uma história como está há 15 anos atrás, eu possivelmente não daria atenção além de considerar uma situação improvável em minha vida. A vida é bela! Podemos mudar, aprender e evoluir, desde que estejamos abertos e que tenhamos paciência. Obrigado pela visita e pelo carinho!!!
    bjs.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela iniciativa, grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Ana, obrigado pelo apoio e presença!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Olá Edgard, adorei seu texto, suas linhas nos trazem vários ensinamentos, e um deles é ter calma para viver, as vezes corremos tanto e esquecemos de respirar, e esta sua história + conto nos faz repensar que realmente tudo acontece no tempo certo, parabéns, bjs e flores. Deka

    ResponderExcluir
  9. Caríssimo. Como não reconhecer você nesta linda historia?
    Encontramos a mesma resposta em filosofias diferentes, mas dividimos a mesma paz e algumas certezas: a de que somos felizes, fortes e a de que, sim, tudo tem o seu tempo.
    E quanta serenidade esta descoberta traz, né, meu lindo e mui querido amigo?
    Aproveito para te desejar um gra?de dia da amizade ou do amigo.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Deka, é um prazer receber a sua visita. Fui conhecer o seu blog e fiquei encantado! Você é sempre bem vinda por aqui!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  11. Querida Gi, Deus escreve certo por linhas tortas!
    Mas normalmente, somos nós que precisamos de óculos!!! Rsrsrsrs...
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Já quando comecei a ler já te imaginei....
    Parabens amigo pela evolução linda...

    bjks.
    lana

    ResponderExcluir
  13. Iana, sabe que eu gosto desta história de vida!
    Não por ser minha, mas sim pelas lições de vida e pelas transformações. A vida é realmente bela, e a beleza está nos olhos de quem vê!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Eu tenho uma passagem na vida que tambem ouvi dizer: TUDO A SEU TEMPO. Acredito nisso e preciso ter paciencia. Grande lição.

    ResponderExcluir
  15. Sissy querida, tenho certeza de que você é uma pessoa com bastante sabedoria. Apesar das adversidades e dificuldades que fazem parte da vida, você continua sorridente, com o seu brilho e seu enorme coração. Eu acredito que a paciência é algo que devemos praticar sempre. Assim como o tai chi, não podemos dizer: agora eu já sei e não preciso mais praticar.
    A nossa prática deve ser diária, desde as pequenas coisas e os pequenos detalhes.
    Mas você está indo bem, é uma dedicada aluna da vida! Rsrsrsrs...
    Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pela linda histório tudo a seu tempo, só que as vezes queremos ser rápidos demais....Mas vemos que nem tudo é assim..Beijos de Luz..!

    ResponderExcluir
  17. Obrigado pelo comentário! Sinta-se sempre a vontade para nos visitar e comentar!!!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  18. Não sei porque, mais comecei a ler e pensei comigo mesmo "essa história está com cara de ser do próprio Edgard" batata!!!
    Muito bom Shigenaga-san !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caiosan, arigatou gozaimasu!
      Realmente, aqueles que tem um certo convívio comigo percebem rapidamente! rssrsrs
      Abraço.

      Excluir